ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA CAC

Tivermos ontem uma reunião virtual com o Dr. Domingos Parra Neto, juiz do nosso processo. Oferecemos a ele nova alternativa de acordo em que mantivermos o valor de R$ 93.000,00 líquidos para cada trabalhador, eliminando qualquer duvida que o juiz pudesse ter.

Tal proposta agradou ao juiz que avisou que publicaria para conhecimento e enviaria ao Ministério Público.
Falamos da situação desesperadora pela qual passam os trabalhadores pedindo a máxima urgência.

O juiz avisou que não se comprometeria com prazos e disse: “Não aceito ser pressionado pelo tempo”.

Em outra frente de luta continuamos avançando no supremo com nosso advogado o ex-ministro Aires de Brito que combate a esdruxula decisão do Marco Aurélio, conhecido no meio jurídico como TERATOLÓGICA, um absurdo incompatível com decisões do Supremo. Temos confiança que ganharemos. Os que acompanham as decisões do Supremo sabem que, nessas questões, Marco Aurélio sempre fica isolado pelos absurdos erros que comete.

Assim sendo, de acordo com a fala do juiz, não é possível garantir prazos.

O Sindbast seguirá nessa luta com coragem e determinação, já que os demais sindicatos envolvidos se acovardaram. Nós não fugimos da raia.

4 Comentários
  1. RAFAEL FRAGOSO Diz

    Pois já sei O juiz não aceita pressão porq não é nele se fosse ele que sofreu um acidente é sofresse de parksom sem dinheiro pra tomar um remédio .lutem grupo de advogados nem que pra isso vocês tirem mas porcentagem mas lutem Deus a de ajuda é alguma voz será por nois

  2. Luis gomes Diz

    Eu sou um ex .da C.A.C é estou nessa luta também. Reconheço o trabalho do SINDBAST acompanhei de 2010 até hoje está luta.Eu só entender porque depois de tudo quase pra receber vêm um juiz é simplesmente por terra os planos é a necessidade de todos na que a gente mais precisa

  3. Antônio Sergio Machado Diz

    Boa noite….o Sr. juiz não aceita ser “pressionado”. OK; se eu fosse o juiz, também não aceitaria. O problema, é que já fez um ano do acordo, e não foi cumprido, e pior ainda, se recebêssemos hoje, esse valor não seria corrigido. E só DEUS sabe quando (se é que ) vamos receber. Lógico; não posso falar em nome do grupo. Mas eu não me importaria de esperar mais uma década para receber na totalidade…iria para o “tudo ou nada”.

  4. Gustavo Chialastri Diz

    Vamos aguardar, seja oque Deus quiser…

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.