“Vampiro de Pisadoc”, na Codasp

Até meados dos anos 80, pelo menos 30 unidades da Codasp, distribuídas pelo Estado, estavam envolvidas com o planejamento e expansão agrícola de São Paulo. “Muitos dos chefes dessas unidades abusavam do cargo e dos trabalhadores na base”, recordou Gualberto.

O Sindbast tomou para si a defesa dos funcionários, quando enviou, já no primeiro ano de representação dos trabalhadores, um planejamento de cargos e salários para a direção da empresa e para o Codec.

Usaram também A Balança como forma de pressão contra os maus chefes. Em 1990, Gualberto criou o personagem “vampiro de Pisadoc”, um anagrama de Codasp, para denunciar os erros do gerente dos Recursos Humanos, que favoreceu os amigos com aumentos salariais, além de perseguir e ameaçar os companheiros.

“Fizemos uma novelinha com boletins semanais contando a história de um vampiro que sugava o sangue dos trabalhadores. Todos sabiam de quem estávamos falando, inclusive ele.” O gerente vampiro acabou demitido.

Fonte: livro Todos ao Restaurante – 20 anos de Sindbast (pag. 67)

Comentários estão fechados.