Manifestação

O Sindbast marcou presença no Dia Nacional de Luta em Defesa dos Direitos e Emprego, que ocorreu em 28 de janeiro, em São Paulo e em outras capitais do País.

O ato reuniu cerca de 10 mil trabalhadores e militantes ligados à União Geral dos Trabalhadores (UGT) e de outras centrais sindicais, que se concentraram no vão livre do Masp e seguiram em caminhada pela Avenida Paulista, passando pelos escritórios da Petrobrás e do Ministério da Fazenda.

O objetivo da manifestação foi pressionar o governo federal a revogar as Medidas Provisórias (MPs) 664 e 665 que tornarão mais rigoroso o acesso da população a uma série de benefícios previdenciários, entre eles o seguro-desemprego ou defeso, que é voltado a pescadores, e a pensão por morte.

Para Alemão, presidente do Sindbast, a classe trabalhadora não pode pagar a conta pelos erros do governo. “Trata-se, na prática, de mais uma demonstração do estelionato eleitoral ao qual o povo brasileiro foi submetido, já que durante a campanha a então candidata à reeleição garantiu que não alteraria os direitos trabalhistas de forma alguma”, destaca Alemão.

Nesta terça-feira, 3 de fevereiro, haverá uma nova reunião entre as centrais e o governo para discutir as medidas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.